A Casinha Feliz
 

 


Atendo crianças disléxicas, com autismo leve, com distúrbio específico de linguagem, atraso escolar e algumas, ainda, que precisam de trabalho específico porque o método utilizado na escola não atende às suas necessidades.
Não posso de antemão definir qual o melhor trabalho para cada criança. É comum a criança chegar para atendimento depois de haver trilhado um caminho carregado de decepções.
Com frequência, uso o método da Casinha Feliz, seja integralmente, passo a passo, seja como apoio poderoso para calçar conhecimentos já adquiridos.Nesta mensagem, quero registrar a beleza que é ver como algumas crianças se beneficiam do método criado por Iracema Meireles e tão bem desenvolvido por Eloisa Meireles.
Às vezes, apesar de tantos anos ensinando, ainda me espanto em ver como a figura-fonema – a grande sacação do método - ajuda crianças a superar imensas dificuldades na alfabetização. Fico com pena ao pensar nas crianças que poderiam se beneficiar do trabalho com a Casinha Feliz e, por motivos vários, não têm acesso a esta metodologia tão simples e inteligente.
E fico contente porque eu, professora, posso usá-lo.

 

 

Leda Fraguito

Agosto de 2015