A Casinha Feliz
PALAVRA DO PROFESSOR


A ALFABETIZAÇÃO EM MIM


O título desta postagem é uma brincadeira que  remete ao MIM - Método Iracema Meireles - do qual sou uma entusiasta há mais de 35 anos.
Vou contar esta história;
Era ainda bem moça e já nutria o desejo de ajudar, de trabalhar na educação , de  contribuir para a melhoria da qualidade do ensino oferecido às crianças. Por isso, junto com uma amiga de infância, Elyéte Tristão Ribeiro, tomei a iniciativa de abrir uma escola de educação infantil em Niterói, Rio de Janeiro, onde cresci: a " Escolinha da Minnie". Era o ano de 1973.
Em virtude deste envolvimento com a educação, fui instada a fazer um curso sobre um método de alfabetização, em Copacabana, sem saber o quanto aquela experiência seria significativa para mim.  O curso acontecia no Instituto Sylo Meireles e a professora, Iracema Meireles, era a autora do referido método, que me encantou imediatamente.  
Tratava-se de uma situação inovadora, muito criativa. A profa. Iracema havia criado um método baseado numa história singular, que se passava num cenário bucólico; " A casinha Feliz" !

casinhafeliz

 

Aprendi os fundamentos do método, comprei o material e passei a utilizá-lo nas classes de alfabetização da escolinha que dirigia. O maior sucesso !
Um belo dia, sem mais nem menos, recebi um telefonema da profa. Iracema. Ela me convidava para estudar mais com ela e para ajudá-la na re-estruturação do método direcionado para adultos, intitulado " É Tempo de Aprender". Até hoje não sei porque isso se deu, mas ela me dizia que tinha percebido que eu era curiosa e com vontade de aprender e que isso a atraíra. Elogio que não valorizei tanto quanto valorizo hoje !

 

Nossa amizade começou a se estreitar naqueles dias em que trabalhávamos em seu sítio em Campo Grande, região oeste do Rio de Janeiro , quando aprendi com ela,
antes de qualquer coisa, a paixão pela alfabetização.
Pouco tempo mais tarde, nasceu minha primeira filha e Iracema me surpreende batendo à porta de meu apartamento, em Icaraí, para visitar a nenen  e me presentear com um objeto que, na época era a maior novidade: um despertador que tinha também um rádio. Ela me disse: você vai precisar acordar muitas vezes para dar de mamar a nenen e será melhor acordar com música.
Alguns anos mais tarde, precisamente em 1975, comecei o curso de mestrado em educação na U.F.F e minha dissertação só poderia tratar da alfabetização. escrevi sobre " O significado da Alfabetização na Criança", tendo como pano de fundo minha experiência com o MIM , na escolinha. Aprovada com grau máximo e recebendo elogios de Ana Maria Machado, a famosa escritora, que fizera parte da banca. Não compreendia, ainda, o significado de tudo aquilo.
Os anos se passaram, os filhos nasceram e passei a exercer a profissão de psicopedagoga, atuando em clínica multidisciplinar em Icaraí, acolhida por minha amiga Sueli Gomes Ribeiro. Sempre que trabalhava com uma criança com dificuldades de  leitura/escrita e percebia que haviam problemas na alfabetização, usava oMIM e os problemas  se resolviam, com o rostinho delas se iluminando a cada história que eu contava.
Depois de muitos anos, mudei-me para Varginha ( 1996) , onde instituí a Fundação Aprender. Comecei um trabalho de formação de professores, atuando principalmente com docentes da rede pública. Diante das dificuldades encontradas pelos professores em alfabetizar seus alunos, passei a ensiná-los a usar o MIM.Naquela ocasião a internet iniciava esta beleza que é aproximar pessoas e, por seu intermédio pude encontrar o Sylo, filho da profa. Iracema, que havia retornado do exterior e  se dedicava e pesquisar sobre alfabetização e a resgatar a obra de sua mãe. Infelizmente , ele veio a falecer alguns anos depois. Fiz contato com sua irmã, Eloisa, que prossegue à frente desta empreitada. Ela ratificou documento que a profa. Iracema havia me dado, atestando minha capacidade para ministrar cursos do MIM.
Aí começou efetivamente o trabalho que, no passado, não vislumbrara: capacitar professores no método,  usando o material da " Casinha Feliz" e  participar da capacitação de alfabetizadores do Programa Brasil Alfabetizado, do governo federal, usando o material do " É Tempo de Aprender ".
O MIM, de base fonética, lúdico e criativo, hoje é aplicado em cinco municípios do sul de Minas, graças à ação da Fundação Aprender, melhorando os resultados da aprendizagem das crianças das redes públicas e os índices do IDEB: Monsenhor Paulo, Carmo da Cahoeira, Estiva, Tocos do Moji, Bom Repouso. Com ele, o sonho da juventude se completou e a esperança da profa. Iracema se concretizou.

 

 

fundacaoaprender